quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Cuidadinho com o que dizem!


Desde que a contagem descendente começou, Cavaco Silva não se conforma em estar calado.
E fala como presidente honorário da coligação que perdeu as eleições e que ainda vive no ressabiamento do resultado
Diz que se deve ter cuidado com o que se diz a propósito do Banif para não se criarem inseguranças que afectem o sistema bancário, mas no mesmo discurso inventa um suposto risco de falta de poio ao sector exportador que poderia afastar o investimento e os empréstimos externos…Em tempos (lembram-se?) foi tão cauteloso quanto ao BES quando deu garantias aos depositantes? Para ter cuidado, não devia ter dito outra coisa? Estes cuidados estará S. Exa a recomendá-los também a Passos Coelho por ter ido meter medo a Bruxelas quanto aos entendimentos à esquerda que estiveram na base do actual governo?
Defende que o apoio à exportação seja feito às empresas com capacidade de gerar mais-valias e alto valor acrescentado com bom nível de inovação. E às outras exportadoras não? E as tais boas, com que receitas comparticipam na redução da dívida, depois da importação de componentes necessárias à sua actividade?
Diz Cavaco que a poupança interna, escassa, já não gera capacidade de investimento e que se tem de recorrer ao crédito e à exportação. Então não acha que a melhoria das condições de vida podem gerar alguma poupança e crescimento da produção para consumo e serviços e elevação do PIB para reduzir o denominador do déficite?
É inevitável que a economia desapareça para que a espiral da ditadura do déficite dos programas de resgates nos leve ao fundo?