domingo, 27 de dezembro de 2015

A arte da guerra ou como a NORAD se apoderou do Pai Natal

 
Todos os anos, se diz às crianças que o Pai Natal dá a volta ao mundo num trenó voador, puxado por renas. Mas quem cuida de sua segurança? É o Norad (Comando da Defesa Aeroespacial Norte-Americano).
No dia 24 de Dezembro, na sua sede de Peterson (Colorado), é activado um  verdadeiro centro operacional, o Centro de Operações de NORAD do Pai Natal  que, com uma equipe de 1.200 especialistas e voluntários, fez uma simulação: seguir a trajectória  Pai Natal de minuto em minuto, reportando-o ao Google Earth; e responder a todos os que pedem informações (
http://www.norad.mil/). Assim, desde que o Pai Natal descola do Pólo Norte -explica o Norad- ele está localizado pelos radars do comando aeroespacial, seguindo seu caminho com satélites que esztão em órbita geoestacionária, equipados com sensores infravermelhos e camaras digitais sofisticadas.
Quando o trenó do Pai Natal se aproxima da América do Norte, descolam  caças-bombardeiros canadianos e norte-americanos (CF-18, F-15, F-16, F-22), neste caso, não para o derrubar mas para o escoltar. Encena-se uma grande fábula, utilizando um  centro operacional real e, referenciando-se, na simulação, aos satélites militares e aviões reais usados para a guerra. Uma grande operação de imagem, que começou em 1955, e que se transformou depois da Internet numa campanha de propaganda à escala planetária.
"Nas vésperas de Natal, segundo Charles Jacoby, as crianças em todo o mundo confiam na NORAD para que que o Pai Natal possa  realizar o seu trabalho em segurança...." A mensagem publicitária é clara: a missão da Norad não é a guerra, mas a segurança global, com a garantia de um testemunho excepcional: o Pai Natal. Que não se estreou em deveres deste tipo. Nos EUA, o  mítico personagem, que emigrou da Europa, em 1863 foi usado na guerra civil pelos Yankees para trazer presentes para os soldados na frente, vestido com a bandeira estrelada dos EUA.
Depois, na década de trinta, foi contratado pela Coca-Cola, a multinacional que o tornou famoso em todo o mundo com a sua imagem atual. No mapa do Google Earth do Paoi Natl da Norad, ele paira sobre o mundo, largando  pacotes de presentes com uma bonita fita vermelha . Mesmo no Afeganistão, Paquistão, Iraque, Líbia, para o deleite das crianças, que até agora só viram os aviões norte-americanos a largar bombas. Até  no Irão e na Síria, onde nos pacotes segue o presente de uma nova guerra em preparação (NT-O texto é de 2011)
No mapa não apareciam pacotes contra os políticos e os militares que fazem as guerras. No entanto, eles aguardam ansiosamente porque, como dizem os psicólogos, em cada um de nós se  esconde uma criança. Para estas crianças crescidas e mal-educadas, o Pai Natal trará presentes caros, pagos com dinheiro público. Como o F-35 Lightning, o bombardeiro caçador caça de quinta geração que irá levantar voo para escoltar o trenó do Pai Natal 25 de Dezembro, mostrando assim a todo o mundo que "garantiu a segurança das futuras gerações", e para bombardear, nos dias seguintes, os países onde o Pai Natal do NORAD deixou os seus pacotes de presentes.
Refletindo sobre tudo isto, alguns concluem que não podemos confiar no Pai Natal e é melhor escolher o Presépio. Mas já não vão encontrar a Sagrada Família, detida por um posto de controle israelita.
 
Terça-feira, 27 de Dezembro de 2011, edição do il manifesto
(tradução de António Abreu)