domingo, 6 de dezembro de 2015

A RTP na América Latina durante anos com a voz de um verme

mariposa calcarifera ordinata que, como todos os vermes, não tem coluna dorsal, mas é muito venenosa, apesar de colorida
 
 
Durante anos, a RTP (todos nós) tem mantido como correspondente em Caracas, no Rio de Janeiro ou em Buenos Aires um servidor dos interesses norte-americanos  que desinformou Portugal e desinformou os emigrantes portugueses no Brasil, na Venezuela e, em geral na América Latina.
Tem sido um peão da estratégia norte-americana contra esses países. Sendo certo que os EUA e alguns países "amigos" mais próximos fizeram o mesmo com os seus correspondentes.
Chama-se João Pacheco de Miranda e negou aos portugueses o direito a serem informados de forma isenta e equilibrada, ouvindo todas as partes, e a receberem informação que não fosse pura propaganda mas que pudesse ter alguma investigação à mistura. E isto talvez por não dispor de coluna dorsal como os referidos animais.
Bem sentado, sem levantar o dito cujo para ir à procura da realidade, e diversidade de fontes, este Pacheco limitou-se a receber dicas de uns alguens para fazer um péssimo trabalho profissional, que já o deveria ter remetido para funções de menor responsabilidade na RTP e com o dito cujo sentado aqui em Lisboa e não na América Latina. Porque isto de correspondente custa caro.
Hoje, dia em que os emigrantes portugueses estão a votar na Venezuela que os acolheu e que nos honram com o seu trabalho, o  verme para durante 15 minutos segregou veneno.