sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Os cães ladram numa direita,extrema também hoje no discurso, que quebrou o verniz, que destrambelhou e se isolou ainda mais

Portas, primeiro, depois o homem da CAP, agora Passos Coelho, ligaram o modo de destrambelho. E começaram a gripar, qual cucaracha, carente de marijuana. Uma verdadeira geringonça...
Portas esqueceu-se que antes de 2011, admitia governar mesmo sem maioria, quebrando a tão badalada tradição.
O nervosismo da direita é o do desespero a falar mais alto quando os interesses podem vir a ser desalojados. Fez uma manif de tias que puxaram por um vernáculo que desprezam mas usam em caso de necessidade. Apela aos "mercados" para desestabilizarem a bolsa, quando esta só está a oscilar em linha com os ditos "mercados". Conspira com os seus pares na União Europeia. Vende a TAP à matroca. Em estilo golpista, exige uma "revisão constitucional" para prolongar receios "Agiganta-se" mesmo em gestão...
Esta energia bem podia ser aplicada na limpeza das matas mas o risco de fogo posto subiria em flecha.
Os cães ladram mas a percepção de dias melhores dos portugueses isola-os ainda mais.