domingo, 19 de julho de 2015

Por duas vezes nos finais dos anos 80 Cavaco Silva recusou-se a condenar os crimes do apartheid e a pedir a libertação de Mandela

A eurodeputada Ana Gomes recordou à SIC-24, a propósito da morte de Nelson Mandela, uma votação das Nações Unidas sobre as crianças vítimas do apartheid quando a socialista estava junto da missão da ONU em Genebra.
«Lembro-me de um episódio em 1989, quando tínhamos uma resolução sobre as crianças vítimas do apartheid apresentada pelo grupo africano. Vergonhosamente, tivemos instruções para votar com os Estados Unidos e a Grã-Bretanha, numa posição contrária a essa resolução», disse à TVI24.
«Foi uma vergonha e tentámos lutar contra isso na delegação. Mas havia muita gente em Portugal que achava que os nossos interesses estavam do lado do apartheid», acrescentou.
 
Esta não é a primeira vez que o então Governo de Cavaco Silva é acusado de votar contra os valores de Nelson Mandela. Já o deputado António Filipe (PCP), numa intervenção no Parlamento em 2008, na altura da comemoração dos 90 anos de Mandela, se referiu a outro episódio.
«Os senhores não querem que se diga que, quando, em 1987, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou, com 129 votos, um apelo para a libertação incondicional de Nelson Mandela, os três países que votaram contra foram os Estados Unidos da América, de Reagan, a Grã-Bretanha, de Thatcher, e o governo português, da altura» (liderado por Cavaco Silva), disse, a 11 de julho de 2008.
 


Sem comentários:

Enviar um comentário