quinta-feira, 25 de junho de 2015

Saramago inspira discussão no México sobre criação da Carta de Deveres Humanos (no JN de hoje)

Intelectuais e personalidades de várias áreas estão reunidos no México para discutir a criação de uma Carta de Deveres do Ser Humano, inspirados no discurso de José Saramago quando recebeu o Prémio Nobel, em 1998.
 

A sua viúva, a jornalista Pilar del Río, participou na abertura deste eventoorganizado pelo Capítulo mexicano da World Future Society e pela Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM), sob o tema "O encontro de pensadores para criar a carta de deveres do ser humano".
Pilar del Río leu as palavras de Saramago, que recordavam os cinquenta anos da assinatura da Declaração dos Direitos Humanos.
"Não parece que os governos tenham feito pelos direitos humanos tudo aquilo a que moralmente, quando não legalmente, estavam obrigado", dissera então Saramago.
"Tomemos então, nós próprios, cidadãos comuns, a palavra, com a mesma veemência com que reivindicamos os direitos, reivindiquemos também o dever dos nossos deveres. Talvez assim o imundo possa ser um pouco melhor", leu Pilar del Río, durante a cerimónia do encontro, que termina na quinta-feira.
Com esta iniciativa, os promotores querem assinalar a passagem dos cinco anos da morte do escritor, a 18 de junho de 2010, aos 87 anos, devido a uma leucemia.
Na inauguração colaborou também, através de um texto, o reitor da UNAM, José Narro Robles, onde defendeu que, para o futuro, é necessário "deixar de lado as visões individualistas e materialistas para pensar no planeta, nos seres que o habitam e no espírito do ser humano".

Sem comentários:

Enviar um comentário