sexta-feira, 29 de abril de 2016

A crise no Brasil, de Perry Anderson

Não estando envolvido na realidade brasileira, bem por dentro, é difícil avaliar sobre a justeza de todas as considerações do autor neste extenso e documentado artigo.
A necessária solidariedade internacional de modo algum pode viver sem reflectir sobre considerações como a que ele nos apresenta.
O sistema político e eleitoral no Brasil, a corrupção dos governos anteriores aos do PT, os compromissos também deste em actos ilícitos, a esperança com Lula e Dilma, os erros cometidos no seu percurso que os afastaram dos trabalhadores brasileiros e aproximaram dos partidos da corrupção que começaram por os aplaudir para depois lhes tirar o tapete, os novos movimentos proto-fascistas encubados na contestação popular são temas sobre os quais nos fala.
Por isso aqui vos deixo este trabalho no blogue onde originalmente foi publicado no passado dia 14.
 
 
Com 79 anos, Perry Anderson, nasceu na Inglaterra e formou-se na Universidade de Oxford.
Foi influenciado pela obra de Jean-Paul Sartre e, depois pelas de Gramsci, Luckacs e Althusser.
Ensaísta político e professor de História e Sociologia, na UCLA, nos Estados Unidos, foi editor da New Left Review , importante revista de esquerda do mundo anglófono.
Depois da derrota do Maio de 68, dedicou-se ao estudo do Estado burguês nos países desenvolvidos, de que resultou a publicação dos livros "Passagens da Antiguidade ao Feudalismo" e "Linhagens do Estado Absolutista", ambos de 1974, além de uma obra não concluída sobre as revoluções burguesas.
A essas investigações somam-se inúmeros artigos publicados na New Left Review no anos 60 sobre o caráter da sociedade e da cultura inglesas, onde polemizou vivamente com E. P. Thompson. Nos últimos anos sua obra procedeu à análise do marxismo oficial, iniciada com a publicação de "Considerações sobre o Marxismo Ocidental", em 1976, e "A crise da crise do Marxismo", em 1983.
Em 1962 publicou também "Portugal and the End of Ultra-Colonialism", onde estudou a estrutura do império colonial português e previu o seu fim.