quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Ontem na Inglaterra contra Corbyn , hoje contra Sanders nos EUA: os poderosos lêem pela mesma cartilha


Apesar de não ser tão à esquerda como o novo líder do Partido Trabalhista Britânico, Jeremy Corbyn, o candidato democrata nas presidenciais dos EUA, Bernie Sanders com a sua atitude de reserva ao poder económico ultra-conservador do seu país, leva a que lá muitos o encarem como um esquerdista, incluindo no Partido Democrata.
Tal como aconteceu com Corbyn, e à medida que a hora da eleição se aproximar, o tom das críticas vai subir por parte dos media dominantes, ferreamente ligados aos interesses de classe dos seus proprietários. O mínimo de regras básicas de discussão democrática eleitoral será eliminado pela histeria da irracionalidade.
De inofensivo e mesmo simpática voz de esquerda, Sanders percorrerá a via dolorosa que o levará a ser considerado um perigoso diabo vermelho, quiçá comunista, como aconteceu com Corbyn.
Os cães ladram mas há bons sinais que persistem.