sábado, 1 de maio de 2021

O curso da economia em países europeus, de acordo com o Eurostat

 As economias da UE e da zona do euro estão a enfrentar uma segunda recessão em pouco mais de um ano, continuando a encolher nos primeiros três meses de 2021, de acordo com estimativas preliminares divulgadas pelo Eurostat.

O produto interno bruto (PIB) dos 19 países que compartilham o euro contraiu 0,6% de janeiro a março, enquanto a economia da UE em geral caiu 0,4%, informou o escritório de estatísticas ontem. Em termos anuais, a economia da área do euro encolheu 1,8%, enquanto a produção no onjunto dos 27 países diminuiu 1,7%.

        Mapa do crescimento PIB (GDP em inglês)

A UE e a área do euro enfrentaram declínios nos últimos três meses de 2020, quando uma nova onda de Covid-19 atingiu o continente. Isto significa que a região está novamente em recessão técnica, definida como dois trimestres consecutivos de crescimento negativo.

A Europa está agora numa recessão de duplo mergulho, uma situação em que uma recessão é seguida por uma recuperação de curta duração e outra recessão. A primeira recessão aconteceu no primeiro semestre de 2020, quando a crise do coronavírus levou a bloqueios que fecharam a maioria dos negócios, antes de se recuperar no terceiro trimestre. 

A maior economia do bloco, a Alemanha, estava entre os três membros da UE que enfrentaram as maiores contrações em janeiro-março. A Alemanha tem o maior decréscimo anual do PIB depois de Portugal e Espanha, que se situa em 3%. A economia alemã também caiu 1,7% em relação ao trimestre anterior.

No entanto, alguns economistas apontam que a situação deve melhorar ainda este ano, já que as vacinações ajudarão os governos a aliviar as restrições relativas ao coronavírus e a impulsionar a recuperação. 

(RT, 30/04/21)


Sem comentários:

Enviar um comentário