sábado, 17 de março de 2018

Finalmente está a acabar o sequestro dos habitantes de Goutha oriental, por António Abreu

 
 
O exército russo informou hoje que mais de 30 mil pessoas deixaram várias cidades em Ghouta Oriental. As televisões de todo o mundo puderam mostrar dessa saída imagens e fazer perguntas aos evacuados. Agora a informação deixou de ter como única fonte o Observatório Sírio dos Direitos Humanos", com sede fantasma em Londres. Basta as televisões quererem...Os canais de TV portugueses apresentaram já algumas situações nos últimos dias, em que as saídas se estão a registar à média... de 3 mil por dia. Não deixando de misturar essa informação com outra referente a mais mortes provocadas nos combates, deixando ficar nebulosas as causas pelas quais o comboio humanitário do Crescente Vermelho sírio (o equivalente à Cruz Vermelha) tinha podido, finalmente iniciar-se
Durante a tarde de hoje as saídas já teriam chegado a cerca de 40 mil.
Os militares russos e sírios que sitiavam estas zonas acompanharam essas saídas, viabilizando o corredor humanitário em conjunto com a desactivação da retenção imposta pelos grupos terroristas.
Quem sai e responde às perguntas dos jornalistas revela a verdade de um sequestro que foi feito pelos grupos terroristas que trocavam fogo com as forças sírias que procuravam libertar deles as cidades.
"Estávamos prestes a morrer', dizem os civis afirmando que esses combatentes os usaram como escudos humanos e barraram a sua fuga.
"Eles dispararam contra nós, eles não queriam que fugíssemos, dispararam contra as rodas do carro para que não pudéssemos fugir...Não havia farinha, nem pão nem água”.
"Eles “ [os combatentes] estavam ali a viver connosco, ao lado de nossas casas e dentro delas. Não iam abrir uma estrada entre as casas para podermos sair. Então o bombardeamento acabou e fizeram de nós escudos humanos. Não fomos autorizados a deslocarmo-nos ".
Os combatentes ocupantes do leste de Ghouta, nos subúrbios de Damasco, bloquearam os civis mesmo depois de os corredores humanitários terem sido acordados no final do mês passado. O cessar-fogo diário, que começou em 27 de fevereiro, tem tido como objetivo permitir que os civis saiam da zona de combate, mas os corredores foram frequentemente alvo dos disparos dos terroristas. Os militares russos observaram repetidamente que os grupos de terroristas usaram como escudos humano aqueles que tentavam fugir do enclave mas a comunicação social "ocidental" silenciavam o crime.

Sem comentários:

Enviar um comentário