quarta-feira, 22 de maio de 2019

Ramaphosa confirmado como novo presidente da África do Sul, por António Abreu



O parlamento da África do Sul confirmou ao fim da manhã de hoje Cyril Ramaphosa, do ANC, como o presidente do país devidamente eleito, depois da sua nomeação ter sido contestada por outros partidos políticos.
Ramaphosa, que também é o líder do ANC, deverá contar com o apoio como presidente dos 400 deputados da Câmara dos Deputados, onde o seu partido é majoritário. Tomará posse no sábado.
O presidente do parlamento, Thandi Modise, do ANC, foi confirmado nessas funções depois de obter 250 votos contra o candidato da oposição democrata, Richard Majola.
Modise instou seus colegas legisladores a respeitarem as vozes dos sul-africanos que representam e a serem "justos em todos os momentos”.
O ANC venceu com facilidade as eleições gerais da África do Sul em 8 de maio, mas o seu número de votos de votos caiu, refletindo a raiva pelos escândalos de corrupção e desigualdades raciais que permanecem arreigadas em grande parte de uma geração depois que o partido assumiu o poder.
Mabuza, ex-governador de Mpumalanga, província nordestina, produtora de carvão, tem lutado para ignorar as antigas denúncias de corrupção no país. Um relatório da Comissão de Integridade do ANC sugeriu que ele havia desacreditado o seu partido.
"O vice-presidente indicou que gostaria de ter a oportunidade de abordar essas alegações", disse Ramaphosa em uma declaração do ANC.
"O vice-presidente acredita que o ANC como partido do governo deve promover o mandato eleitoral num ambiente de confiança pública".
Mabuza desempenhou um papel fundamental em assegurar que Ramaphosa fosse eleito numa disputa acesa para substituir Jacob Zuma, predecessor atormentado por escândalos, na conferência eleitoral do ANC, em dezembro de 2017.

Sem comentários:

Enviar um comentário